Este site usa cookies para recolher estatísticas e melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Saiba mais aqui

Visitantes: 96750

Qualidade e Ambiente

A FERGRUPO tem vindo a desenvolver desde 1995 um Sistema de Gestão da Qualidade que permita uma satisfação plena dos Clientes e, em Setembro de 1999, resultado de um justo reconhecimento, obteve o Certificado de Qualidade pela APCER (Certificado de Conformidade N.º 99/CEP.969), para Construção e Manutenção de Linhas Ferroviárias, incluindo alta velocidade, metropolitana e vias urbanas de superfície, electrificação, sinalização, comunicações, apeadeiros e ramais particulares, assim como todos os trabalhos de construção civil associados, tais como movimento de terras, drenagens, obras de arte, edifícios auxiliares e restabelecimento de acessos.

A FERGRUPO foi a primeira Empresa de Construção Ferroviária em Portugal com esta distinção, sendo igualmente a primeira a obter a Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade segundo a ISO 9001:2000.

Em Setembro de 2003 obteve o Certificado de Conformidade pela APCER (Certificado de Conformidade N.º 2003/AMB.121), para o mesmo âmbito que o seu Sistema de Gestão da Qualidade. Actualmente, mantém a certificação do Sistema Integrado Qualidade & Ambiente de acordo com o recente referencial ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015, respectivamente.

 

DESEMPENHO AMBIENTAL – FERGRUPO 2017

Os resultados obtidos em 2017 em matéria ambiental são um sinal evidente da cultura ambiental implementada e sustentada pela capacidade organizacional e preventiva, conseguindo a concretização plena de todos os objectivos de redução de recursos naturais, produção de resíduos e reaproveitamento de materiais.

Acerca do consumo de recursos energéticos e de água, registaram-se consumos inferiores a 2016 nos escritórios e estaleiros, com acentuadas reduções, fruto de uma cultura preventiva e promotora de boas práticas.

A reutilização de determinados resíduos como é o exemplo do balastro desguarnecido que, a invés de ser depositado em aterros, são reaproveitados por instituições de administração pública (juntas de freguesia e camaras municipais) para melhoramento de vias de comunicação locais.